Pelenova Biotecnologia

  • Pelenova Biotecnologia
  • Pelenova Biotecnologia
    • Quem Somos
    • Missão
    • Objetivos
    • História
  • Produtos
    • Ingredientes Ativos
    • Linha Dermatológica
    • Linha Dermocosmética
    • Linha Antissinais
  • Responsabilidade Socioambiental
  • Parcerias
    • Parceiros
    • Pesquisa
  • Contato

Trabalhe Conosco | Mapa do Site | Restrito

Ingredientes Ativos | Linha Dermatológica | Linha Dermocosmética | Linha Antissinais

CONHEÇA SUA PELE

NOTÍCIAS


Úlcera diabética



Cuidados para com as feridas

Úlcera diabética

A úlcera diabética é uma ferida crônica do pé que ocorre em pessoas que, por razões diversas, apresentaram uma complicação do diabetes. Normalmente, nestes pacientes, a lesão começa com
um calo, frieira, arranhão, corte ou corpo estranho que coloca a pessoa em risco de desenvolver a úlcera.
 
Qual é o pé que está em risco de apresentar úlceras?

O que aumenta a chance de ocorrer este tipo de lesão é o que se chama, no meio científico, de fatores de risco, que são:

• irrigação sanguínea insuficiente, que dificulta a capacidade de reparar o dano e debelar infecções. É o que se chama de micro angiopatia ( micro: muito pequena; angio: vasos; patia: doença = doença
dos vasos muito pequenos)
• diminuição da capacidade de perceber a sensação dolorosa, o que favorece que um ferimento simples qualquer passar despercebido por tempo demorado o suficiente para que quando seja
percebido, já tenha se tornado uma ferida crônica muito séria. Para poder bem avaliar estas complicações, se e quando ocorrerem assim como o risco de elas
ocorrerem, é absolutamente necessário que os pés dos diabéticos sejam examinados em toda consulta pelo profissional de saúde nos seguintes aspectos:
• Pulsos das artérias tibiais posteriores e pediosas dos dois pés: devem ser palpados (o pulso pode estar ausente em cerca de 10% das pessoas normais).




« Voltar | Topo